Uricurituba: O erro que custou bem caro

Dia 31 de dezembro se encerra o mandato do atual prefeito de Urucurituba, município instalado no Médio Amazonas. Para alguns, ele vai continuar dando as cartas no pequeno município; para outros,  tudo o que ele poderia fazer em proveito próprio, ele fez, inclusive não pagando  o salário de grande parte dos servidores municipais contratados. As verbas do Fundeb, destinadas especificamente para a educação, hoje são questionadas pelos professores municipais. Afinal, para onde foram, questionam eles?!

Mas, se o atual prefeito deu as cartas até hoje, foi com o respaldo da população que votou nele para sua reeleição.

Ontem (25), chegou pelo e-mail mais um relatório sobre as dificuldades enfrentadas por alguns servidores municipais que o prefeito se nega a pagar. Vamos, então, ver do que trata o relatório e esperar que a futura administração não lembre, em absolutamente nada, esta que se encerra dia 31.

 

            “O Sr. EDIVALDO SILVA ARAÚJO, prefeito de Urucurituba Amazonas, por dois mandatos (2004-2012), recusa-se pagar os profissionais da educação do município, como professores, transportadores, merendeiras e serviços gerais, neste final de oito anos de seu mandato. Causando assim a ilegalidade como “quebra de contrato” por parte de sua autoridade. Conforme contrato que assinamos, baseado na Constituição Federal, nos dá o direito de usufruir dos direitos trabalhistas inscritos no Art.7º, incisos VIII, IX, XVI, XVII, e mais regência de classe.  E em nada disso somos contemplados. Queremos saber onde foi parar o nosso 13º salário, o terço de férias, regência de classe, abono salarial e os vencimentos referentes aos meses de novembro e dezembro?

            Nós, cidadãos brasileiros, constituintes de poderes públicos, mediadores de conhecimentos, estamos exigindo o que é nosso de direito como “trabalhador”, no que rege o Art. 7º, da Constituição Federal e, incisos acima citados.

            Aos 20 de dezembro quinta-feira às 11 horas e 25 minutos em reunião, tivemos um contato por telefone com o prefeito. A pessoa que estava no celular a qual não quis se identificar por motivo de segurança, perguntou ao prefeito se iria nos pagar e quando? Ele alegou que pagaria e, se isso não acontecesse que procurassem a justiça, e ao mesmo tempo usando de seu autoritarismo fez ameaças ao professor, o que identificamos como “abuso de poder”.

            Nós professores, que contribuímos para a melhoria e funcionamento da educação no município, vêm mui respeitosamente, através deste documento, em rede nacional, solicitar das autoridades competentes do nosso país que façam uma vistoria no recurso do FUNDEB destinado a educação no município de Urucurituba Amazonas.

            Os recursos públicos destinados à educação estão indo parar em lugares errados, como por exemplo, nos investimentos de empresas, construção de imóveis, compra de automóveis, e etc., de maus administradores dos recursos públicos, deixando assim, a desejar, a educação do nosso país.

            Nós, cidadãos brasileiros, queremos combater tal tipo de criminalidade em nosso município, para que sirva de exemplo aos futuros governantes e, que eles fiquem sabendo que com dinheiro público não deve brincar. Portanto, fazemos aqui o nosso apelo, às autoridades competentes do nosso país, que tomem as devidas providências.

Urucurituba Amazonas, 22 de dezembro de 2012 “

Publicado por Amazonas Em Destaque

Um blog com os principais fatos e destaques do Estado do Amazonas.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers gostam disto: